Início Comércio Novo decreto estadual amplia horário do comércio e proíbe festas de final de ano

Novo decreto estadual amplia horário do comércio e proíbe festas de final de ano

2 leitura mínima
0
0
510

De acordo com o novo decreto de isolamento social do Governo do Estado publicado nesta sexta-feira (11), o comércio cearense vai poder funcionar das 9h às 23h entre os dias 15 de dezembro a 4 de janeiro, devido o Natal e Ano Novo. O objetivo é o público ter mais opções de horário e evite aglomerações.

Segundo o documento, os shoppings poderão adotar o novo horário caso queiram, mas mantendo o encerramento da praça de alimentação e restaurantes às 22h e limitar a ocupação do estacionamento em 50%, demarcando e fiscalizando as vagas que não podem ser utilizadas. As lojas de rua poderão seguir o mesmo horário, obedecendo o limite de ocupação dentro do estabelecimento.

“O objetivo desse decreto especial é evitar a maior propagação do vírus neste período de fim de ano, principalmente no momento em que há aumento de casos em todo o Brasil e no mundo. As medidas foram planejadas de forma a respeitar as normas sanitárias, buscando preservar ao máximo a economia e os empregos”, escreveu o governador.

Outra determinação do Governo do Ceará é que estão suspensos eventos sociais e corporativos, privados ou públicos, em ambientes abertos ou fechados no Estado; está proibido a realização de festas em áreas comuns de quaisquer condomínios, residenciais, de lazer e mistos; limite da capacidade máxima de festas residenciais de 15 (quinze) pessoas, incluídos os moradores e colaboradores; está proibido a realização pelos entes públicos de festas de réveillon (31 de dezembro).

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Kátia Alves
Carregar mais Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 3 =

Verifique também

Fortaleza se destaca entre cidades da América Latina na ampliação da malha cicloviária durante a pandemia

A Prefeitura de Fortaleza, desde o início da pandemia da Covid-19, em março de 2020, impla…