Início Notícias Sim, eu existo! programa de registro da prefeitura de Fortaleza é tema de redação do Enem

Sim, eu existo! programa de registro da prefeitura de Fortaleza é tema de redação do Enem

6 leitura mínima
0
0
41
#


Com o objetivo de erradicar o sub-registro civil de nascimento e ampliar o acesso à documentação civil básica de crianças e adolescentes, o programa Sim, eu existo! já ajudou cerca de 600 pessoas a conseguirem o registro desde que foi criado, em 2017. A ação é desenvolvida por equipes da Fundação da Criança e da Família Cidadã (Funci), que trabalham de forma integrada com outras secretarias e instituições para assegurar esse direito, que é um passo essencial para a cidadania e para o acesso à saúde, educação e assistência social. A problemática da invisibilidade e registro civil foi tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), aplicado nesse domingo (21).

“O tema da redação chama a atenção da sociedade brasileira para uma realidade no nosso País. Aqui em Fortaleza temos o Sim, eu existo!, que trabalha com representantes da sociedade civil para assegurar cidadania e dignidade a quem não tem registro civil”, destaca Iraguassú Filho, presidente da Funci. Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 4% das crianças que nascem em Fortaleza acabam não sendo registradas. “A certidão de nascimento é o documento que dá acesso a qualquer serviço público. Por isso, é importante fazer o registro no cartório assim que a criança nasce. Mas se não foi possível por qualquer razão, nosso objetivo é ajudar essas pessoas”, completa.

Quem mora em Fortaleza e precisa fazer o registro tardio de nascimento (1ª via da Certidão de Nascimento), basta ligar gratuitamente para o número 0800 285 0880, escolher a opção número 3 e se cadastrar junto à Prefeitura, que fará os devidos encaminhamentos entre os órgãos competentes para efetivação do registro de nascimento. Os documentos necessários são: via amarela da Declaração de Nascido Vivo (DNV) entregue pela maternidade ou pelo profissional de saúde que assistiu ao parto (parto domiciliar), documento de identificação (com foto) dos pais e CPF dos pais. Se os pais forem casados entre si, levar a Certidão de Casamento (caso não sejam casados, ambos devem estar presentes no momento do registro para que seus nomes constem no assento e na certidão).

Nos casos em que os pais da criança não são casados entre si e o pai não possa estar presente no ato do registro de nascimento, a mãe poderá fazê-lo apenas em seu nome e, a qualquer tempo, o pai poderá comparecer ao cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais (na presença da mãe da criança) e reconhecer a paternidade voluntariamente. Esse serviço é gratuito. Se houve extravio da DNV, é necessário solicitar à maternidade uma cópia do documento anexada a uma declaração da mesma. Quando o parto ocorreu fora da maternidade, deve-se acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que conduzirá a mãe e o bebê a uma maternidade, onde será emitida a DNV.

Serviço:

Comitê Gestor Municipal de Políticas de Erradicação de Sub-registro Civil de Nascimento e Ampliação do Acesso à Documentação Básica

Contato: 0800 285 0880 – opção 3

E-mail: comitesubregistro@funci.fortaleza.ce.gov.br

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Kátia Alves
Carregar mais Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro − 3 =

Verifique também

Defensoria lança site de adoção de cartinhas da campanha “Natal solidário para os abrigos”

A partir desta quarta-feira (1º), quem quiser adotar cartinhas da campanha “Natal solidári…